Seta

Programa de Federação

Venha fazer parte da Federação de Empresas Juniores do estado do Rio de Janeiro!

Passo a Passo para a Federação

Em vinte e nove anos de existência no país, o MEJ cresceu, profissionalizou-se e amadureceu. Hoje, são mais de 15.000 universitários espalhados por cerca de 450 Empresas Juniores realizando mais de 4.800 projetos por ano. O Brasil é um país de destaque frente ao Movimento Júnior como um todo.

Com o intuito de melhor organização, surge em 2003, a Brasil Júnior - Confederação Brasileira de Empresas Juniores – que tem por objetivo representar as empresas

juniores em nível nacional e desenvolver o Movimento Empresa Júnior como agente de educação empresarial e gerador de novos negócios.

Para fazer parte da RioJunior as empresas juniores do Estado do Rio de Janeiro precisam dar seus passos iniciais. Para isso, elas poderão contar com o Programa Único de Federação, desenvolvendo-se ainda mais e passando assim a fazer parte do Caldeirão! Confira o passo a passo que separamos para você que têm interesse de abrir uma EJ.

1 | Nome

Para definição do nome, a empresa deve obter a Certidão de Busca Prévia do Nome, que tem por finalidade detectar a existência, ou não, de empresas juniores com nomes idênticos.

2 | Registro

Para criar uma associação, é preciso realizar uma Assembleia Geral de Constituição, em que as pessoas presentes terão poderes para certos pontos.

3 | RCPJ

Registro Civil das Pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro. Para obter este registro, você precisará de certos documentos.

4 | CNPJ

Com o Estatuto e Ata de Fundação registrada, resta dar entrada no pedido de CNPJ. É bom reiterar que, sob hipótese alguma, uma EJ pode ser assim definida sem o seu CNPJ.

5 | Corpo de Bombeiro

Para Certificado de Aprovação e Laudo de Exigências, procurar o Corpo de Bombeiros com jurisdição sobre o imóvel da empresa júnior para requerer o Laudo de Exigências,

6 | INSS

Como empresas juniores não podem possuir funcionários com carteira assinada, esse pagamento não ocorre. Mesmo assim, a empresa precisa estar cadastrada e regularizada para funcionar.

7 | FGTS

Empresas Juniores, como não possuem empregados, não depositam FGTS. Entretanto, é necessário o cadastro na Conectividade Social, um canal eletrônico para a troca de informações entre o escritório de contabilidade e a CAIXA.

8 | O Reconhecimento

A empresa júnior poderá encaminhar petição para ser reconhecida como de utilidade pública em todas as esferas (Federal, Estadual e Municipal) solicitando imunidade tributária.

9 | ISS

Caso a empresa tenha imunidade tributária estará excluída do pagamento de tributos. Sendo esta concessão difícil de ser obtida, poderá ser requerida junto à Prefeitura a isenção do pagamento do imposto municipal sobre serviços (ISS).

10 | IRLF

Na inspetoria você fará uma consulta prévia do local para verificar a possibilidade da empresa júnior funcionar no endereço escolhido.

11 | Notas Fiscais

Para todo e qualquer projeto que seja desenvolvido pela empresa júnior, há necessidade de se emitir as notas fiscais.

+ Para mais detalhes veja o Manual de Regulamentação

TEVE ALGUMA DÚVIDA? MANDE PARA

coordenacaoexpansao@riojunior.com.br

Programa
Único de
Federação

Levando em conta o atual contexto do movimento no nosso estado, percebemos que existem muitas empresas juniores já criadas e consolidadas, mas que ainda assim necessitam de um nível maior de maturidade para estarem se integrarem à RioJunior. Assim, a Coordenação de Expansão repensou todo seu trabalho criando um novo modelo de Programa de Federação que visa acelerar o crescimento dessas empresas.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR O EDITAL
Empresas que se encontram atualmente no programa:
LEITURAS/DOCUMENTOS IMPORTANTES: